SORTEIO

Seja um seguidor e concorra a sorteios semanais de CDs e livros.



04 janeiro 2011

Lo primero tango no se puede olvidar

Charme, mistério, paixão, melancolia, nostalgia, boemia. Adjetivando-se: poético, dramático, profundo, fatal, feminino e masculino. Não há como sair ileso. Impossível ficar indiferente.

Todas as noites, Buenos Aires se entrega à sonoridade e aos passos do tango. Nasceu nos subúrbios da cidade de uma combinação de elementos de origem italiana, espanhola, crioula, cubana e negra. Tangó era o nome do lugar onde os negros se reuniam; tangano, uma dança africana; tango, uma onomatopeia ou um jeito de se (tentar) falar a palavra tambor.  Com passos da milonga, ritmos do candombe, melodias da habanera, toques do flamenco e da canção italiana, mas fortemente identificado com a cultura portenha, o tango fala de sentimentos universais (pelo menos, do universo dos apaixonados, melancólicos, dramáticos). O compasso 2/4 sofre mudanças de andamento sem nenhuma cerimônia, sem pudor de confessar o sentimento, de reconhecer que, como os tangueros, ora pisamos confiantes, expansivos, ora arrastamos os pés de um lado a outro, ou nos recolhemos.

Antes de surgir em forma de canção, tango era uma maneira de se dançar. Pelo seu caráter sensual e ousado, que transgredia os "bons modos", era discriminado pela classe alta. Além da sensualidade da dança, a criatividade da improvisação e a variedade dos passos fascinavam expectadores. Os primeiros tangos eram tocados pelo violão e pela flauta. Foram convidados o piano, o violino, o contrabaixo e, como protagonista, o bandoneon. Este instrumento é originário da Alemanha, mas sua vocação para o tango estava escrita: "qualquer um que tenha um bandoneon sobre os seus joelhos tem um destino inevitável, que é o tango", afirma Rodolfo Mederos. O instrumento respira: inspira e expira como um outro corpo junto ao do instrumentista. Uma escultura localizada em uma praça da Recoleta sintetiza a cumplicidade música-músico-dançantes: Con El Fuelle Adentro, de Leo Vinci.







































A sensação chegou à Europa no começo do século XX e abalou Paris, cidade então movida a bailes. De lá ganhou o mundo e caiu no gosto das rodas sofisticadas e dos contextos, digamos, mais "familiares". A partir do fim da Primeira Guerra Mundial, surgiu o tango-canção. As letras e os cantores passaram a ser mais valorizados, especialmente devido à voz e ao charme de Carlos Gardel (1890-1935). Não se sabe se teria nascido “Carlos” no Uruguai ou “Charles” na França, mas o que importa é que se fez Gardel na Argentina. Dizia: “nasci em Buenos Aires aos dois anos e meio de idade”. Levou o tango a Paris, aportou em Hollywood, imortalizou canções e arrebatou multidões. Da sua parceria com Alfredo La Pera nasceram clássicos como Mi Buenos Aires querido, El dia que me quieras, e Por uma cabeza, que você pode ouvir neste link: http://dl.dropbox.com/u/15280243/Por%20una%20Cabeza.wmaMorreu precocemente em um desastre aéreo em 1935, deixando mais de 900 gravações entre tangos, fox-trots, fados e outros gêneros.

O tango seguiu sua sina. Nos anos 40 e 50, as letras tornaram-se mais românticas, mas a música ainda era protagonista: dançava-se aos suspiros que o tango inspirava. Na década de 60, quando o rock'n roll surgiu como fenômeno mundial, entrou numa fase de ostracismo, mantendo-se em pequenos e apaixonados núcleos de resistência. Até que Astor Piazzolla (1921-1992) o reergueu, revolucionando o gênero: inventou um tango erudito, de influência contemporânea e jazzística, não para se dançar, mas para se tocar e ouvir, com ritmos complexos e novas cores harmônicas. Minha peça favorita é Le Grand Tango, para cello e piano, cheio de romantismo em um ambiente sonoro urbano e vigoroso. Na internet há alguns vídeos da peça, incluindo uma versão com Gidon Kremer ao violino (http://www.youtube.com/watch?v=eamRlKTe7rU). Não deixe de ver também o próprio compositor ao bandoneon interpretando Adios Nonino (http://www.youtube.com/watch?v=VTPec8z5vdY).

O repertório instrumental e cantado é enorme e há tangos para diferentes gostos. 
Para a performance instrumental das crianças, gosto das peças do livro Palitos Chinos de Violeta Gainza: El treinta y três e Homenaje a Pizzolla, que é uma adaptação do tema Invierno porteño de Piazzolla. O tema consiste de frases em sequência melódica cujo ritmo é característico da escrita do compositor (Exemplo 1).

Em seu trabalho para iniciantes ao piano, Duetos populares, Ricardo Nakamura inclui um tango melancólico, de frases longas e poéticas, com harmonias piazzollianas, entitulado Severino em Buenos Aires. Você pode ouvir duas versões: piano a quatro mãos (http://dl.dropbox.com/u/15280243/Severino%20em%20Buenos%20Aires%20%28piano%20a%204%20m%C3%A3os%29.wma ) e conjunto instrumental (http://dl.dropbox.com/u/15280243/Severino%20em%20Buenos%20Aires%20%28acompanhamento%29.wma). A criança pode improvisar sobre a versão instrumental, experimentando sequências melódicas com o movimento característico em zigue-zague (Exemplos 1 e 2), notas alteradas, ritmos característicos, contratempos, síncopes, etc. 


Sobre o acompanhamento do professor, o aluno pode realizar mudanças de andamento, como ocorre no tango-canção, e incrementar os motivos com variações de acento e articulação stacato/legato típicas das peças instrumentais, como em Adios Nonino (Exemplo 3).


 Todas as noites, Buenos Aires se entrega à sonoridade e aos passos do tango, seja nas ruas, nos shows para turistas no Café Tortoni ou nos recantos “bandoneon à luz de velas”. Atualmente, a vedete é outra vez a dança. O repertório inclui os melhores tangos para se dançar. Mas como se costuma dizer na cidade, "Carlos Gardel está cantando cada vez melhor".


Referências:
Gainza. V. H. Palitos Chinos (Chop-Sticks): para la iniciación ao piano. Buenos Aires: Barry, 1987.
Nakamura, R. Duetos Populares: 12 peças a quatro mãos para o iniciante de piano, v.1. Brasília, 2006.

Fontes:
http://www.tangobh.br.tripod.com/
http://www.lunaeamigos.com.br/cultura/tangoargentino.htm
http://www.esto.es/tango/espanol/historia.htm
http://www.welcomeargentina.com/tango/historia.html
http://www.anosdourados.net.br/internacional/latino.htm

6 comentários:

Jeane disse...

Oi, Cecília...

O tango é, sem sombra de dúvida, um ritmo contagiante e Buenos Aires uma cidade encantadora, onde se respira música e dança em cada esquina. Trazer essa música para as crianças é revelador, pois mesmo não tendo muito contato com este ritmo elas se identificam e gostam tanto da música que até arriscam alguns passinhos.

Fiquei muito feliz em descobrir seu blog, às vezes bate uma certa nostalgia dos tempos da graduação e voltar a ter acesso a novas idéias faz com que o fogo e o prazer de compartilhar a música com os pequenos se mantenha acezo.

Atualmente tenho vivido uma experiência maravilhosa, ser mãe de gêmeos. Meus bebês estão com cinco meses, o Francisco e a Elisa, e ainda tem a Clara de dois aninhos que é uma graça e adora dançar ouvindo o Forrock, alíás sempre me lembro de vc, principalmente quando vejo o João Lucas e a Fernanda no encarte do cd, devem estar lindos!!!

Aliás, além se compartilhar as experiências musicais deveríamos compartilhar a experiência da maternidade dupla, pois essa dá trabalho...

Um Grande abraço para todos!!

Jeane.

Maria Luisa disse...

Olá, Cecília
Minha vida deu algumas voltas e aqui estou eu outra vez... tive que abrir mão de alguns sonhos, perdi outros, mas agora quero voltar a realizá-los.
Fiquei muito feliz em ver o seu blog, é simplesmente lindo, e de te encontrar por acaso na rua, você é para mim uma inspiração, um sonho a ser seguido, um exemplo de que a música é pura magia.
Parabéns!!
Um beijo grande de sua eterna admiradora, Maria Luisa.

Paulinho Leme disse...

Oi Cecília!

Tudo bem?

Primeiramente quero agradecer pela aula de tango. Sou pianista que adora acordeon e me encanto pelo tango.

Seu blog está magnífico. Aprendemos muito com ele. É muito bom aprender colaborativamente através dos blogs e fóruns. Parabéns.

Sou estudante de Educação Musical da UAB-UFSCar e admiro muito seu trabalho.

Ficaria muito honrado se visitasse meu blog: http://paulinholeme.blogspot.com/
Ele ainda está muito simples, estamos construindo através de uma disciplina do curso.

Grande abraço,

Paulinho Leme.

Marinês Mendes disse...

Olá professora Cecília, tudo bem?

Eu gostaria de elogiar sua aula de tango, é um tipo de música de que gosto muito.

Também gostei muito muito do blog, gostei das cores e do conteúdo. O site eu já conhecia. Ainda não visitei todo o blog mas já sei me identifico com o conteúdo.

Como aluna da UaB-UFSCar, convido-a a seguir o blog que criei para a disciplina de TIEM, tecnologias de internet para educação musical.
o endereço é

sinaisdacancao.blogspot.com

É um blog acadêmico, está no início mas darei prosseguimento a ele e eu gostaria de compartir conhecimentos.

Um abraço,

Marinês Mendes

Beth disse...

Cecilia,que saudades!
Te reencontro agora pelo blog, que está maravilhoso.
Moro na Colombia, mas trouxe seus Cds comigo, que muito me estao ajudando em minha prática de musicoterapia para gestantes.
Beijos, quero estar em contato com voce de novo.
Parabéns pelo lindo trabalho, sempre!
Com carinho, Beth Fontes.

Sara disse...

Eu acho que, enquanto pode-se sempre aprender coisas novas que eu espero que em algum momento de fazê-lo, acho que vou tentar aprender viagem se eu conseguir um Aluguel apartamentos buenos aires

Instruções para imprimir as imagens

Clique para abrir o link; clique sobre a imagem que deseja imprimir; abra o menu "arquivo" e clique em "visualizar impressão" para ajustar o tamanho da imagem. Você também pode salvar a imagem para imprimi-la em tamanho A3 em uma gráfica rápida.